SAIBA MAIS

participe das nossas redes

previsão do tempo

terça-feira, 8 de outubro de 2013

Varal Fotográfico estreia no 21º PIQUENIQUE CULTURAL!

O 21º PIQUENIQUE CULTURAL que acontecerá dia 20, na Praça da Alfandega, trará uma novidade: o Varal Fotográfico, que pretende destacar o trabalho poético de fotógrafos profissionais ou não. 
Nesta edição as fotos serão impressas em um material maleável, o poliéster, dando mais maleabilidade e movimento às fotografias expostas!
Organizado pela artista  Juliana Charnaud, serão expostas obras dos artistas Adriane Santi e Hélcio Oliveira. Serão dez fotografias - cinco de cada artista - que versam sobre temas e pesquisas estéticas diversas.
Após a exposição, as fotografias poderão ser adquiridas através da loja virtual do PIQUENIQUE CULTURAL, na rede social Facebook.

Os artistas

Adriane Santi  é fotógrafa profissional desde 1998. Sua sólida e conceituada carreira começou durante a faculdade de jornalismo, na UCPel. Ainda durante o curso, começou um intenso circuito de exposições dentro e fora do RS. Foram mais de vinte mostras fotográficas autorais.
Dentre as exposições, destacam-se Olhos Sensíveis, Alguns Visús e Duas Histórias Que Quero contar, consolidando sua trajetória no Rio de Janeiro, onde é radicada.
Duas Histórias Que Quero contar conta com inserção audiovisual a partir de um documentário sobre a história do artista plástico chileno Jorge Selarón, que construiu a escadaria feita por mosaicos de azulejos de mais de cinquenta países, contando como história última sobre a proposta social do profeta Gentileza. O documentário já foi apresentado no PIQUENIQUE CULTURAL, na 3ª e 4ª  edições, em fevereiro e março de 2011.
Adriane construiu uma vasta experiência em sua arte, com trabalhos publicados em revistas como IstoÉ, G Magazine, Fato e FLASH, além de jornais nacionais e internacionais:  Dário Popular, Diário da Manhã, O Globo, Jornal do Brasil e Correio da Manhã (Portugal). Por dois anos, foi a fotógrafa responsável pela edição de imagens no Jornal do Jurídico da Petrobras.

Adriane Santi: pelotense radicada no Rio de Janeiro expõe no Varal Fotográfico
Em 2005, a exposição “Olhos Sensíveis”, foi selecionada para participar do FOTORIO – Encontro Internacional de Fotógrafos.
Em 2011, registrou os lançamentos nos estandes das editoras Cosac Naify, Novo Conceito, Cortez Editora, Callis e Vale das Letras durante a Feira Internacional do Livro, realizada no centro de convenções Riocentro. A artista também produziu as mais de 40 imagens fotográficas que ilustram o livro de Carla Caruso, sobre a Infância de Ana Maria Machado, atual presidente da Academia Brasileira de Letras. Já no curta "Apenas Uma Possibilidade", de Ticiana Studart, realizou o still e o making of.
Em 2012 atuou como fotógrafa oficial do projeto Música no Museu no Rio de Janeiro. Foi responsável pelo registro de cerca de 144 espetáculos do Festival Internacional de Harpas e registrou também o Festival de Músicas Antigas.

Helcio Oliveira nasceu em Remanso, na Bahia e teve a vida dividida entre os estados da Bahia e Pernambuco. É fotografo e produtor cultural brasileiro. É conhecido pela visão particular sobre os caminhos por onde passa. Atualmente vive em Pelotas e cursa Bacharelado em Artes Visuais na Universidade Federal de Pelotas.
 O olhar sobre as coisas do dia-a-dia o acompanha desde sempre, mas foi com a inovação da tecnologia que esta observação começou a se moldar como trabalho. A acoplagem de câmeras fotográficas em celulares, que representa uma grande revolução no mercado tecnológico, o possibilitou a dispor de recursos para registar as situações casuais.
Seu trabalho de arte surge a partir da observação de elementos presentes no caminho. Consiste em fotografar as imagens formadas pelo acaso e assim encontradas. Trata-se essencialmente do registro do percurso.

“Considero como uma ação reveladora no que se refere a, fazer possível apresentar para as pessoas as imagens que estão ali, mas ninguém as vê; passa despercebido. É absolutamente compreensível a não percepção da maioria destas figuras por estarem encobertas por um alto grau de abstração e também por serem, na grande maioria das vezes, bem pequenas; este último fator ainda confere à ação um caráter de garimpo, já que a pratica é coletar estas pequenas preciosidades nas ruas”, diz Helcio.

Hélcio Oliveira apresenta imagens das calçadas de Pelotas
Hélcio é um dos idealizadores do Prêmio Satolep Universitário de Artes Visuais, que teve sua primeira edição em março deste ano. O Prêmio foi inicialmente concebido como parte do Projeto de Extensão Novos Produtores Culturais, vinculado à disciplina de Produção Cultural do Curso de Artes Visuais / UFPel. 



Nenhum comentário:

Postar um comentário