SAIBA MAIS

participe das nossas redes

previsão do tempo

segunda-feira, 15 de abril de 2013

Registros de memórias culinárias na Praça da Liberdade: 18º PIQUENIQUE CULTURAL, março 2013!

Durante a 18ª edição do PIQUENIQUE CULTURAL, que ocorreu em março na Praça da Liberdade, no Areal,  Luis Filipe (Pipo) conversou com alguns participantes do evento a fim registrar suas memórias culinárias.  
Pipo fez três abordagens durante o evento e ouviu impressões, vivências culinárias, receitas, causos, lembranças de infância, hábitos ...

Memória culinária: Público que prestigiou o 18º PIQUENIQUE CULTURAL em março dividiu suas receitas favoritas.

Acompanhe os relatos colhidos por Pipo 
e conheça as receitas dos participantes do 
18º PIQUENIQUE CULTURAL!


Polenta com linguicinha de porco
Receita de Dona Maria Sirlei Duarte

Dona Maria Sirlei é casada há 46 anos com Seu Vilson Duarte e há 45 moram na Praça da Liberdade.
Seu Vilson é natural de Canguçu, nasceu no interior do município, perdeu os pais cedo e foi morar em orfanato. Relatou vários costumes alimentares desde sua infância com predominância em preparos a base de farinhas.
Ambos disseram que "antigamente se plantava tudo, comíamos da terra, o único produto que comprávamos era sal".
Seu Vilson contou que aprendeu a importância de comer o churrasco com farinha de mandioca, já moço, em um churrasco na cidade de Arroio Grande. Observou sobre o consumo da farinha "rolão": farinha de cor mais escura e não tão refinada. Angu, farinha de milho fina crua com leite,  Canjica de trigo: uma espécie de mingau feito com o trigo em grão  e adicionado leite, que dava muita energia pra trabalhar na roça. Curiosidade: na ocasião em que seu Vilson conheceu esse hábito de comer farinha de mandioca com carne, se dividia a farinha com porções uma para cada pessoa (servida perto).
Dona Maria ilustrou uma série de dificuldade que passaram para se alimentar, ela e seus16 irmãos, no interior e em sua juventude em Granja. Ela dividiu a receita que sua família mais gosta e um de seus pratos favoritos: Polenta com linguicinha de porco.

Receita:
Parte 1 > Óleo de soja, 1 cebola picada, 1 ou dois tomates picados, menos de meio pimentão, 1 dente de alho picado, knor ou sazon, água, linguiça fina de porco, 1 xícara de farinha de milho fina ou média, cebolinha e salsa picada.
Parte 2 > Molho a parte: 2 cebolas, 2 tomates, Pimentão e demais ingredientes a gosto.
Em uma panela, reforgar legumes (parte 1), a linguicinha em pedaços de   +- 1,5 cm , só fritar. Acrescentar água, ferver com caldo knnor ou sazón, acrescentar farinha de milho e cozinhar em fogo baixo por 15 minutos. Empratar  e colocar molhos parte 2 por cima e cobrir com cheiro verde picado.

*******************************

Panqueca arco-íris
Receita de Roselaine Lisboa (Preta)

Roselaine nasceu na comunidade, é moradora da rua Guararapes,  no mesmo espaço onde hoje já construiu sua casa. Preta não usa medidas para cozinhar, faz tudo " a olho". Cozinheira, apenas um filho, já foi casada – o ex-marido também estava no PIQUENIQUE CULTURAL, nesta edição.
Preta compartilhou a receita que preparava para o filho, Luis Antônio: Panqueca arco-íris.
Para tornar o alimento mais atrativo para o filho pequeno, Preta costumava fazer receitas simples e trocar ingredientes básicos, ou acrescentar legumes para dar cores interessantes e despertar a vontade da criança para o alimento.

Receita:
Bater no liquidificador: ovos,  leite, farinha de trigo, sal óleo de soja para formar a receita básica de panqueca e dividir em 4 porções. Cada porção deve ser novamente processada com legumes, cenoura, beterraba, rúcula (couve) e a última na receita tradicional ou outro legume.
O molho: Cozinhar frango em preparo para desfiar. Só fritar em óleo de soja cebola, tomates, e pimentão picados e acrescentar chimichurri (seu tempero favorito).  Enrolar as panquecas  e colocar em um prato intercalando as cores. Gratinar com parmesão ralado.

*******************************

Delicia de frango
Receita de Guilhermina Lessa

Dona Guilhermina é moradora do Bairro Santa Terezinha (Três Vendas),  é natural do interior da cidade de Santo Antônio (Rio Camaquã) e teve uma vida difícil.
Todos seus irmãos , assim como ela, foram "dados" pelos pais para serem criados por outras pessoas, devido a falta de condições financeiras.
Ela explicou que traz hábitos alimentares que adquiriu com sua família não biológica . Trabalhou na roça e também disse: "nós comíamos da terra" se referindo também ao quanto era diferente o alimento em si (forma de plantio e cultivo mais natural, hábitos). Disse que em sua infância também preparavam, plantavam todo seu alimento, só comercializando o sal. 
Ela costuma cozinhar com sua filha e outras amigas para uma creche todos finais de ano. São contratadas e preparam em grande quantidade para as crianças e suas famílias. A receita que sempre preparam nesse encontro é Delicia de frango. Dona Guilhermina também faz rapadura (sem adição de farinha de trigo, salienta) que estava a venda na barraca que montou junto com suas amigas. Ainda deu dicas de preparo de doce de batata doce em pedaços caramelizada, schimier, pão, conserva de pepino.
Todas que estavam na barraca cozinham ou já cozinharam profissionalmente como auxiliares de cozinha ou casa de família. Dona Guilhermina se diz realizada quando cozinha.

Receita:
Cozinhar peito de frango em água com sal. Esfriar, desfiar com a mão.
Só fritar bastante cebola, tomate e pimentão (as medidas não soube me dizer proporcionalmente, pois sempre faz em grande quantidade e não efetua as comprar para essa atividade anual). orégano, sazón.
Fritar os legumes, acrescentar o sazón, o frango desfiado , massa de tomate e milho em conserva. Ainda dá a dica de que se o molho estiver muito seco usar a água do cozimento do peito para umedecer e salientar o sabor. Ferver e desligar, acrescentar o creme de leite e servir com batata palha e arroz branco.

Nenhum comentário:

Postar um comentário